AguiarFloresta - Associação Florestal e Ambiental de Vila Pouca de Aguiar
E.N. 2 - Centro de Camionagem - loja 4
5450-011 Vila Pouca de Aguiar
Telf: 259 417 634 Fax: 259 417 638
E-mail: geral@aguiarfloresta.org
Web: aguiarfloresta.org
REBANHOS DE CABRAS: UMA DAS SOLUÇÕES PARA A GESTÃO DO FOGO

 A Aguiarfloresta em parceria com outras entidades nacionais leva a efeito uma próxima iniciativa de promoção e valorização do pastoreio para a minimização dos impactos dos incêndios, neste caso o seminário “Cabras-Fogos-Gestão de Habitats”, que se vai realizar a 29 de novembro, no Auditório dos Paços do Concelho de Rio Maior, cabendo à Cooperativa Terra Chã a organização.

 

A iniciativa pretende dar a conhecer o trabalho da silvopastorícia dinamizado por associações, empresas e munícipios onde se utilizam os rebanhos de cabras em pastoreio extensivo, sob a forma de pastoreio dirigido, procurando que a ação das cabras tenha impacto significativo na gestão de combustíveis e na gestão de habitats e, como consequência na minimização do impacto dos fogos rurais.

Trata-se de uma rede colaborativa de diversas organizações e entidades que cooperam na permuta de experiências e de conhecimento à volta do pastoreio extensivo como uma das possibilidades de intervenção das problemáticas dos fogos rurais.

 Segundo, Júlio Ricardo, dirigente da Coop. Terra Chã, “...o abandono dos terrenos agrícolas, associados à agricultura familiar e de pequena e média escala, a substituição de culturas que ainda formavam um determinado mosaico agrícola, com faixas de descontinuidade que impediam a atual dimensão dos incêndios e a progressão dos matagais, contribuiu para a atual calamidade que todos os anos transforma o nosso país em triste notícia”.

Acrescenta, ainda, “que não podemos culpabilizar os idosos que ficaram nas suas aldeias e que, perante as dificuldades provenientes da idade e de uma legislação penalizadora da pequena agricultura, foram nas suas pequenas parcelas de terreno, substituindo a vinha, os pomares e outro tipo de culturas pelo eucalipto, pelo pinheiro manso ou bravo porque sabiam que, sem gestão, de tempos em tempos, poderiam receber um pequeno proveito financeiro, que juntariam às suas magras reformas”.

Assim, durante as últimas décadas, fomos deixando acumular barris de pólvora, uns sobre os outros, e aproveitando os Verões e Outonos para carpir tristes situações, num crescendo que culminou neste ano de 2017.

 

No entanto, começa a ser tarde, para abrirmos os olhos e afirmarmos, de viva voz, que é fundamental garantir a sustentabilidade da gestão do mundo rural .

Há que dar visibilidade a quem teimosamente demonstra a viabilidade do mundo rural.  A Aguiarfloresta vai apresentar o pastoreio dirigido enquanto técnica de gestão da paisagem rural e intervenção no território para minização do incêndios florestais. No concelho de Arcos de Valdevez, a Associação Territórios com Vida e a empresa familiar Quinta Lógica trabalham com os seus rebanhos de cabras. Na Associação Montis, em Vouzela, olha-se para o território com olhos de ver e de pensar e faz-se uma gestão de vastos terrenos, quer adquiridos pela associação, quer cedidos para gestão, conciliando as espécies, a intervenção e o fogo.

Mais ao lado, na Serra das Estrela, a Associação Florestal Urze trabalha com o seu rebanho de cabras na manutenção das faixas de descontinuidade, tentando a minimização do impacto dos fogos rurais.

O Munícipio de Penela há muito tempo que desenvolve uma parceria com a Coop Terra Chã para aprendizagem recíproca sobre a utilização dos rebanhos. Desta vez, estará no seminário a Associação de Moradores da Aldeia da Ferraria de S. João que resolveu intervir e criar uma zona de proteção à aldeia, arrancando os pés de eucaliptos em cerca de 6 ha, indo colocar espécies autóctones e reintroduzir rebanhos de cabras e ovelhas para assegurar a limpeza pela pastagem.

Da Galiza participará a experiência da Coop. Monte Cabalar que tem uma experiência de gestão de milhares de hectares nos montes galegos, onde predominam, nas pastagens extensivas o gado bovino e cavalar.

 

O seminário tem início com uma visita à aldeia de Chãos, para ver, in loco, o trabalho do rebanho de cabras da Coop Terra Chã. Miguel Freitas, Secretário de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural integrará a visita dos participantes do seminário ao projeto da Terra Chã e fará a abertura do seminário, que decorrerá no Auditório da CM de Rio Maior.

 

Júlio Ricardo, da Terra Chã refere ainda que “... este projeto faz parte de um trabalho da rede portuguesa de pastoreio extensivo que, a partir do trabalho que já desenvolve, resolveu fazer uma candidatura a Grupo Operacional da Rede Rural Nacional, visando a aprendizagem mútua, a conceptualização de um novo conceito de pastoreio, a disseminação e a aplicação das boas práticas identificadas. E porque é importante a componente científica, o projeto também tem a parceria do INIAV e do Instituto Superior de Agronomia”.

 Numa 1ª fase de candidatura, o projeto não foi aprovado porque os decisores consideraram que havia falhas nos fatores de inovação porque parece, que não se apresentavam novos produtos, nem novos resultados, naquilo que a parceria considerou uma visão de inovação que esquece a alteração de modelos de gestão e de modelos de comercialização como componentes centrais do uso inovador do pastoreio numa gestão do território socialmente mais útil e mais sustentável!...”

 

Fica o programa:

 

9 h / 9,30 h - Receção - C.M. Rio Maior

9,45 h - Aldeia de Chãos (percurso com rebanho da Terra Chã) - António Frazão / Raul Gabriel

12,30 h - Almoço - Rest. "Terra Chã"

13,45 h - Regresso a Rio Maior

14,15 h - Abertura do Seminário - Sec. de Estado das Florestas e Desenvolvimento Rural - Eng. Miguel     Freitas (c/ participação na visita à aldeia de Chãos)

- Tema integrador - "Fogos e pastagens" - Henrique Pereira Santos (Montis)

           - "Pastoreio e rebanhos - Grupo Operacional de disseminação de boas práticas" - Júlio Ricardo

- "O pastoreio dirigido nas Serras de Vila Pouca de Aguiar" - Duarte Marques (AguiarFloresta)

- "O pastoreio do rebanho da Terra Chã" - Vasco Silva (ISA)

- "Silvopastoralismo e gestão agroflorestal" - Coop. Monte Cabalar - Galiza (Espanha)

- "A zona de proteção da aldeia de Ferraria S. João" - Pedro Pedrosa (Associação de Moradores da Ferraria S. João - Penela)

16,25 h - Intervalo (merenda de produtos locais de cada projeto)

16,55 h - Debate / Conclusões

 As inscrições podem acontecer para o mail: geral@cooperativaterracha.pt, apenas com nome, telemóvel  e localidade.